Notícias

USCS participa de expedição pelo Rio Doce

No mês de dezembro de 2015, a Universidade Municipal de São Caetano do Sul, representada na ocasião pela professora Marta Marcondes, participou de uma expedição nos municípios afetados pelo rompimento da barragem em Mariana-MG, organizada pela Fundação SOS Mata Atlântica. Segundo as análises realizadas a partir da expedição, a condição ambiental do Rio Doce é péssima nos 650 km de rios.

No período de sete dias (5 a 12/12), foram percorridos os 29 municípios afetados, analisando 18 pontos em campo e coletadas 29 amostras de lama e água para análise em laboratório. Dos 18 pontos, 16 apresentaram Índice de Qualidade da Água (IQA) péssimo e dois deles, regular. A coordenadora da Rede das Águas da Fundação SOS Mata Atlântica, Malu Ribeiro, reforça o dano ambiental encontrado pela equipe “Em todo o trecho percorrido e analisado, a água está imprópria para o consumo humano e de animais”.

A expedição teve o apoio da USCS, da Ypê Química Amparo, da Prominent e de grupos voluntários de especialistas, incluindo o Giaia (Grupo Independente de Avaliação de Impacto Ambiental) além do eco esportista Dan Robson, que navegou trechos com caiaque para realizar análises ao longo do percurso.

Os parâmetros estabelecidos para as análises foram os da legislação vigente do país, a Resolução Conama 357-5. Ela estabelece a classificação das águas e aponta o Índice de Qualidade da Água.

Após a coleta do material, as amostras foram analisadas nos laboratórios da USCS e da UFSCar. Clique aqui e acessar o material completo com o laudo e relatório na íntegra do estudo.
Sobre a SOS mata Atlântica

A Fundação SOS Mata Atlântica é uma ONG brasileira que atua há 30 anos na proteção da floresta mais ameaçada do país. A ONG realiza diversos projetos nas áreas de monitoramento e restauração da Mata Atlântica, proteção do mar e da costa, políticas públicas e melhorias das leis ambientais, educação ambiental, campanhas sobre o meio ambiente, apoio a reservas e unidades de conservação, dentre outros. Todas essas ações contribuem para a qualidade de vida, já que vivem na Mata Atlântica mais de 72% da população brasileira. Saiba mais em www.sosma.org.br.

 

rio doce