Notícias

USCS e PMSBC realizam evento para apresentar resultado de estudos na Billings

No dia 21 de junho de 2017, aconteceu no Teatro Lauro Gomes (SBC), o seminário “Expedição Billings: Problemas e Soluções”. A ação foi uma parceria entre a Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS), por meio do Projeto IPH (Índice de Poluentes Hídricos), a Prefeitura Municipal de São Bernardo do Campo, o eco-esportista Dan Robson (Projeto Águas do Amanhã) e a empresa Prominent. O evento aconteceu no período noturno.
Os principais objetivos foram apresentar à comunidade os resultados dos três anos de estudo no reservatório Billings (2015 a 2017) e realizar a entrega oficial do relatório comparativo dos anos estudados aos representantes de cada região. Após isso, foi aberto o espaço à perguntas de estudantes e público em geral, em um bate papo com Dan Robson e a Profª da USCS e responsável pelo Expedição Billings, profª. Marta Ângela Marcondes, mediado pela ‎Coordenadora da Rede das Águas da Fundação SOS Mata Atlântica, Malu Ribeiro.

Confira fotos do evento:

A USCS e os estudos da água
A crise hídrica é um problema cada vez mais preocupante para a população e para os governantes. Buscando contribuir com informações sobre a qualidade de nossas águas, e as condições ambientais de preservação, foi desenvolvido, na Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS), o Projeto IPH (Índice de Poluentes Hídricos). Criado em 2003, vindo de projetos anteriores, o IPH subsidia as pesquisas realizadas acerca de rios, córregos e nascentes da região do Grande ABC e, recentemente, também de São Paulo.
A partir dos estudos da água e visando a produção de informações úteis a toda a comunidade e ao poder público acerca a qualidade das águas disponíveis em reservatório para abastecimento, foi idealizado, por iniciativa da professora da USCS, Marta Ângela Marcondes, o Projeto Expedição Mananciais, que estuda a qualidade da água (coletando e analisando amostras) das represas, rios e córregos da região e SP ( Billings, Guarapiranga, e rios Tamanduateí, Pinheiros e Tietê), levando à autoridades dos municípios os resultados obtidos visando o planejamento de políticas públicas para a melhor gestão dos reservatórios.
O projeto prevê ainda eventos de conscientização, voltados à população de cada cidade envolvida, no sentido de informar e sensibilizar acerca da atual situação, orientando no que for necessário. Inserido neste projeto, está o “Expedição Billings”, que analisa a evolução da qualidade da água do maior reservatório da Região Metropolitana nos últimos três anos.

Por sete semanas, o eco-esportista Dan Robson navegou ao longo de 462 quilômetros nas margens do reservatório Billings e coletou amostras de água em 164 pontos, distribuídos entre São Bernardo (104), Capital (37), Santo André (dez), Diadema (oito), Ribeirão Pires (dois) e Rio Grande da Serra (três).

No ano passado, eram 166 pontos avaliados, porém dois deles, um em Rio Grande da Serra e outro na Capital, foram assoreados.