Notícias

Simpósio de Fisioterapia 2019 comemora os 50 anos da profissão no Brasil

A Edição 2019 do Simpósio de Fisioterapia da USCS aconteceu no campus Centro, entre os dias 14 e 16 de outubro e teve como tema os 50 anos da Fisioterapia no Brasil: “O fisioterapeuta tem o cérebro de um cientista, o coração de um humanista e as mãos de um artista.” Ao longo dos três dias de evento, foram discutidas as atuações do Fisioterapeuta no esporte, em hospitais e clínicas para diversos tipos de tratamentos, desde oncológicos até obstétricos. No último dia, foi apresentado o Júri Ético Simulado com os alunos do sexto e oitavo semestres, que contou com a presença do Dr. Leandro Lazzareschi, conselheiro do CREFITO-3.

“Este tipo de evento promove a integração da comunidade acadêmica do curso, uma vez que a gestão, alunos e professores de diversas turmas se aglutinam em torno do simpósio, seja na organização (membros das comissões organizadora e científica) seja na participação como ouvintes. Outro relevante aspecto diz respeito ao contato com docentes, pesquisadores e profissionais fisioterapeutas externos à instituição, que trazem assuntos, pareceres e experiências complementares àquelas vivenciadas em sala de aula”, explica o professor Paulo Deliberato, gestor do curso de Fisioterapia da USCS.

Confira a cobertura das principais atividades:

Dia 14/10

O Prof. Alexandre M H Cosialls palestrou sobre “Atuação Fisioterapêutica no Esporte”.

Contamos com a apresentação do Grupo de Dança AD São Caetano.

A palestrante Profa. Ms. Renata Claudino falou sobre “Testes Clínicos de Campo para avaliação da Capacidade Física em Indivíduos com Doenças Respiratórias”.

Dia 15/10

A Profa. Ms. Carla Dellabarba Petricelli explanou sobre “Atuação fisioterapêutica em obstetrícia”.

Também tivemos a Mesa Redonda com os ex-alunos de Fisioterapia da USCS, Luana Araújo, Anderson Vasconcellos e Sandra Grizante.

Os alunos puderam expor os trabalhos científicos realizados nas aulas.

Dia 16/10

Os alunos do 8º semestre realizaram uma simulação de atividades inadequadas para um atendimento fisioterápico. Logo após, foi feito um Júri Simulado para julgar essas atitudes.

Em seguida, o conselheiro do Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da 3ª Região de São paulo, Leandro Lazzareschi explicou um pouco mais sobre a importância de estar atento a essas condutas na vida profissional. “A importância de um julgamento ético simulado é trazer o aluno para uma situação real. É uma forma de estudar o Código de Ética com uma dinâmica envolvida. Eles acabam vivenciando tanto a parte da acusação como a parte da defesa e isso serve para formação e, até mesmo, para preveni-los de cometer uma infração”.

Galeria de Fotos