Notícias

Professor da USCS participa de livro sobre a cena do heavy metal no mundo

O professor Rui Luiz Ferreira Granado, dos cursos da área de Comunicação da USCS, escreveu em 2018 uma dissertação intitulada “DO SOM DOS TORNOS AO BARULHO DOS AMPLIFICADORES: O Heavy Metal e a cena musical da região do ABC (1980-1990)”. Para o estudo, foi empreendida uma análise de acervos pessoais, revistas da época e documentários, que permitiram, assim, a identificação de alguns dos fatores determinantes para a introdução e consolidação do gênero no ABC, levando em consideração o contexto histórico e o panorama político do país no período em questão.

A figura do amplificador surge como um símbolo de contestação e ruptura dos paradigmas, uma forma de perturbar a ordem e confrontar os padrões convencionais estabelecidos pela sociedade. É nesse contexto que o heavy metal surge como porta-voz de um determinado grupo de jovens da região do ABC, podendo ser interpretado como um “desabafo”, uma forma de expressar revolta, anseios e frustrações.

O objetivo da pesquisa foi justamente compreender os fenômenos responsáveis pela consolidação do gênero na região e de que forma o ambiente, especificamente a paisagem sonora, influenciou o modo de vida e, principalmente, o processo de composição das canções produzidas pelas bandas de heavy metal do ABC no período entre 1980 e 1990.

“O interesse pelo tema surgiu pela paixão que tenho pelo gênero, algo que cultuo desde a adolescência e de certa forma, acabei adotando como estilo de vida. Durante os anos 80, costumava frequentar os locais da cena metálica do ABC; bares, shows e eventos em geral”, explica Rui.

O livro

A repercussão desse trabalho rendeu ao professor um convite para participar de um livro sobre a cena do Heavy Metal no mundo, onde pesquisadores de diversos países (Japão, Alemanha, França, EUA, África do Sul, Dinamarca, Canadá, Turquia etc.) tiveram a oportunidade de contribuir com trabalhos.

“Fiquei muito grato e feliz em saber que meu trabalho foi selecionado como o único representante da América Latina, uma honra para mim”, celebra o professor.

No desenvolvimento do projeto, um desafio foi separar o lado fã do lado pesquisador: “Confesso que busquei ao máximo separar o fã do pesquisador, o que não foi nada fácil, uma vez que vivenciei o crescimento do gênero na região e fui integrante dos “Headbangers ABC”, de São Caetano do Sul. Nesse período também me aventurei como músico, tendo minha primeira e única banda, a “Devastação Nuclear”, criada em 1987. Aos poucos, as bandas do ABC deixaram as garagens e conquistaram seus espaços dentro e fora do país. O jovem que há até pouco tempo era marginalizado e discriminado em razão de sua aparência e de sua proposta estética musical, tornou-se referência não somente de um subgênero musical ou de sua ‘tribo urbana’, mas também constituiu um elemento relevante na formação de uma cena cultural que apresentou a região do ABC para todo o Brasil. O heavy metal faz parte da cultura do ABC, algo que está enraizado e acaba se confundindo com a própria história da região quando se trata de rock’ n’ roll”, conclui Rui.

O livro foi lançado no dia 31 de dezembro de 2021, pela editora Intellect Books.
Veja: https://www.intellectbooks.com/living-metal