Notícias

Mesa Redonda e palestra sobre Compliance

No último dia 20 de março, O Gestor da Escola de Negócios, Prof. Jefferson José da Conceição, o Gestor das Escolas de Computação e de Engenharia, Prof. Mário Eugênio Longato, e o professor responsável pelas Atividades Acadêmicas Curriculares Complementares (AACC), Prof. João Ribeiro, participaram de Mesa Redonda com o Sr. Almir Rocha, Executivo da empresa americana VP Fleetcor. Rocha, que veio à USCS realizar palestra no mesmo dia ( confira a matéria), é especialista no tema de Compliance.

Formado pela PUC e MBA pela George State University, Almir Rocha atua na área de Segurança da Informação, Gerenciamento de Riscos e Governança. Tem larga experiência em operações, estratégias de gerenciamento de riscos, sistemas e soluções em multinacionais. Além da Fleetcor, Almir Rocha atuou também no ING Bank e Hewlett-Packard. Rocha é VP Governance, Risk & Compliance na FLEETCOR (USA), empresa líder no fornecimento de cartões de combustível e de meios de pagamentos especializados, que presta serviços para mais de 500 mil empresas com milhões de usuários em 43 países.

Na Mesa Redonda com os professores da USCS, Almir Rocha, que reside nos EUA, prontificou-se a voltar à universidade para novas palestras e outras formas de parcerias. Almir Rocha, a convite do Gestor da Escola de Negócios, concederá entrevista para a Newsletter da Escola de Negócios (a entrevista será publicada nas próximas edições da Escola de Negócios News).

O que é Compliance?

De acordo com o site www.administradores.com.br:

“o termo compliance é da língua inglesa, mas foi incorporado dessa forma no vocabulário de gestão brasileiro. Em tradução literal, significa observância de alguma norma ou acordo, ou fazer valer uma vontade ou comando. No sentido corporativo, “comply” quer dizer agir de acordo com uma regra, uma instrução interna, uma ordem ou um pedido. Assim, estar em compliance é estar em conformidade com regulamentos internos e externos à empresa. No livro Compliance 360º, [é introduzido] como mecanismo eficiente na condução de negócios. A ideia exposta na introdução do livro é que compliance é uma forma de fazer valer a missão, visão e valores da organização, ocasionando o crescimento da empresa (…). Assim, de forma sintética, trata-se de “um conjunto de regras, padrões, procedimentos éticos e legais, que, uma vez definido e implantado, será a linha mestra que orientará o comportamento da instituição no mercado em que atua, bem como as atitudes de seus funcionários”, (…). Utilizar esse mecanismo significa diminuir riscos de imagem e riscos legais que podem atingir empresas no exercício de suas atividades. Por isso manter compliance significa também incluir os processos utilizados na organização, o que eleva o mapeamento e gestão de processos a um outro patamar de importância, dentro dessa lógica. As vantagens de estar em compliance interna e externamente – e esse segundo aspecto corresponde às boas práticas e padrões atuais – se traduzem no destaque da empresa como séria e reconhecida no mercado de forma positiva. À vantagem competitiva se junta a credibilidade, que permite o desconto em linhas de crédito, valorização interna da organização, melhor retorno de investimentos, e outros. A existência de um profissional que se dedique a analisar e encontrar formas de manter a empresa em compliance é muito importante enquanto ferramenta de gestão, portanto. Independente da presença ou não desse profissional, a manutenção de compliance deve estar nas mãos da alta administração da instituição em questão”.

 




Formado em Sistemas para Internet pela Universidade Municipal de São Caetano do Sul e atuo há 3 anos como Desenvolvedor Web e Designer de Interfaces. Atualmente trabalho na reformulação dos portais web da USCS.