Notícias

Exposição “As Meninas do Quarto 28” trouxe a escritora Hannelore Brenner ao Brasil

O Mestrado Profissional de Comunicação da Universidade Municipal de São Caetano do Sul em parceria com a UNIP traz à comunidade e professores uma semana de palestras e seminários ministrada pela escritora

Quase 80 anos após imensuráveis tragédias ocorridas por conta do Holocausto, evento de assassinato em massa, onde cerca de seis milhões de judeus tiveram suas vidas encerradas pelo Líder-Ditador Adolf Hitler, uma exposição organizada pelas curadoras Karen Zolko e Dodi Chansky circula no Brasil. Com desenhos e colagens de meninas de 12 a 14 anos que foram mantidas presas em um dos quartos de um campo de concentração na Europa é tema da exposição “As meninas do quarto 28”.
Em um ambiente hostil, com escassez de água e bebida, além da falta de espaço, passaram pelo quarto 28 que ficava localizado no 3º andar de um dos prédios do gueto, cerca de 60 meninas, entre 1942 a 1944. Com o auxílio da professora Friedl Dicker-Brandeis faziam desenhos sobre as condições de vida daquelas crianças cujo sofrimento era causado pela guerra e pela política de racista da época.
Karen Zolko e Dodi Chansky, curadoras da exposição, se inspiraram no livro “As Meninas do Quarto 28”, que foi escrito pela alemã Hannelore Brenner, que conheceu algumas das sobreviventes na década de 90 e quis contar o que essas mulheres viveram na época. O livro foi traduzido e publicado no Brasil em 2014, pela editora LeYa.
O Metrado Profissional de Comunicação (MPCOM) da Universidade Municipal de São Caetano do Sul, em convênio com a Universidade Paulista (UNIP), organizou uma semana de palestras e seminários com a participação da autora do livro, a alemã Hannelore e as curadoras da exposição Karen Zolko e Dodi Chansky, nos dois campi da USCS, em São Caetano do Sul, e na UNIP, em São Paulo. As atividades contaram com a participação das professoras Priscila Perazzo (USCS) e Barbara Heller (UNIP), organizadoras do evento, entre outros estudiosos de memória, literatura e holocausto.
A primeira palestra para professores, estudantes e comunidade em geral aconteceu no dia 19 de setembro, no campus Barcelona da USCS, em São Caetano do Sul, e o seminário de pós-graduação ocorreu no dia 20, no campus Indianápolis da UNIP, em São Paulo. Esse seminário se repetiu em Recife, na Galeria onde está atualmente a exposição As meninas do Quarto 28, contando lá com apoio dos programas de pós-graduação pernambucanos.