Notícias

Confira as primeiras impressões do estudante de jornalismo no México

O estudante e monitor do Laboratório de Hipermídias João Paulo Soares da Silva está no México, em intercâmbio na Universidade de Colima, e nos conta sobre a sua experiência. Ele retorna para o Brasil em janeiro de 2017

 

Primeiras semanas como estudante estrangeiro no México

Das coisas mais básicas na rotina até a gastronomia local, quase tudo muda!

O Estado de Colima é pequeno, possui cerca de 700 mil habitantes, divididos em 10 municípios. Faz calor boa parte do tempo e, na temporada de chuvas, que ocorre no período do segundo semestre do ano, costuma chover ao final de quase todas as tardes. No geral, o mexicano é um povo acolhedor, hospitaleiro e busca ajudar sempre que possível. Falam rápido demais e em alguns momentos é difícil de compreender.

As primeiras semanas costumam ser as mais difíceis, por mais animado(a) que você esteja, há uma quebra brusca em sua rotina e, nesse tempo, começamos a se adaptar com os novos horários, novos trajetos, novas amizades, nos acostumamos com a comida local, o clima húmido e quente, entre outras coisas.

Miguel Ángel Ramírez Gonzáles, de 20 anos, é estudante de jornalismo e se mostra bem animado com a chegada de um novo companheiro de turma. “Es muy emocionante, porque conocemos una nueva cultura y es divertido porque vemos o cambio de actitudes de culturas. Afinal de cuenta, compartimos e hacermos nuevas amistads”, afirma.

 

Foto 2 – Turma jornalismo na aula de reportagem

Turma de jornalismo em aula de reportagem

 

O campus central da Universidade de Colima chama a atenção. É bastante arborizado e é possível encontrar pássaros, lagartos e esquilos próximo aos muitos estudantes. Cada curso pertence a determinada Faculdade e esta possui o seu próprio prédio. Em diversos pontos há algum tipo de arte, seja uma escultura, um mural ou um quadro. 

O ensino é ‘puxado’. Geralmente as aulas iniciam por volta das 7h50 da manha e se encerram as 14h10, com diversas atividades, podendo estender para o período vespertino e noturno. O sistema de avaliação conta com 3 notas parciais e é necessário obter média 8 em cada uma.

Gonzáles acredita que o intercambio é enriquecedor para ambos o lados, o visitante e o anfitrião, ocasionando a troca de conhecimento e possibilitando o aprendizado das diversas maneiras de fazer jornalismo. “Nos retroalimentamos entre las dos culturas, porque aprendemos del periodismo en Brasil y nosotros enseñamos tambien nostras practicas”, afirma.

Foto 1 – Facultad de Letras y Comunicación da Universidade de Colima

Fachada da Universidade de Colima – Prédio Letras e Comunicação

Texto: João Paulo Soares da Silva




Formado em Sistemas para Internet pela Universidade Municipal de São Caetano do Sul e atuo há 3 anos como Desenvolvedor Web e Designer de Interfaces. Atualmente trabalho na reformulação dos portais web da USCS.