Notícias

Cia. Grite de Teatro leva ao palco um olhar afiado sobre obras de Tchekhov

Por Kleber di Lázzare 

“Uma busca por compreender e debater os nossos males e medos por meio de uma imersão nos tempos e no universo de Tchekhov”, a partir dessa premissa, a Cia. Grite de Teatro/USCS construiu a dramaturgia original e coletiva para a sua nova construção cênica, “Aqui Não é Moscou”, que estreia dia 12 de novembro.

A Cia., sediada na USCS, está distante dos palcos desde julho de 2019, quando iniciou o processo de pesquisa para este trabalho. A pandemia do novo coronavirus fez com que o processo se estendesse por mais de três anos, realizado, em grande parte, no formato virtual. Os textos “As três Irmãs” e “Tio Vânia” do dramaturgo russo Anton Tchekhov foram os alvos da pesquisa e também das provocações que nortearam os atores e atrizes criadores, o diretor e o dramaturgista na construção da estrutura cênica e dramática desse novo trabalho.

Mesmo que algumas cenas originais de Tchekhov estejam sobre o palco, o que costura e alinhava esses olhares, universos e tempos, são os diálogos e as provocações construídas pelo Coletivo Artístico em resposta ao dramaturgo russo a partir do caos existencial nessa terceira década do século XXI.

Meio Ambiente, as Transformações do papel da Mulher em Sociedade, Violências, Preconceitos, Arte, Depressão, Melancolia, Medo, são temas que tomam a cena em “Aqui não é Moscou”.

Duas atrizes e quatro atores se alternam entre as personagens das obras matrizes, as novas personagens construídas a partir das provocações delas e os discursos dialéticos e desassossegados que surgiram dos nossos incômodos e medos pessoais.

Uma estrutura cênica épica/dialética foi criada para levar à cena um dos mestres do realismo. Dessa forma, a Cia. Grite de Teatro retorna ao palco. Entre nevascas, tempestades e poesia, busca questionar, compreender e emocionar com uma construção inédita diante de dois clássicos.

O retorno. De mãos dadas com Tchekhov, mas com o olhar atento ao nosso tempo e às nossas relações de sociedade.

“Aqui não é Moscou” estreia no dia 12 de novembro, na USCS – Campus Conceição (Rua Conceição, 321. São Caetano do Sul), aos sábados, às 18h e às 20h, e aos domingos, às 19h. Até 11/12.

ELENCO

Ana Catarina Santilli, Arthur Zenardi, Gleibson Filho, Gustavo Batistão, Lígia Vasconcelos e Vinícius Venâncio.

PESQUISA E CRIAÇÃO

Ana Catarina Santilli, Arthur Zenardi, Gleibson Filho, Gustavo Batistão, Kleber di Lázzare, Lígia Vasconcelos, Marina Rodrigues, Rafael Sandoli e Vinícius Venâncio.

DRAMATURGISMO

Kleber di Lázzare.

DIREÇÃO GERAL

Kleber di Lázzare.

PESQUISA MUSICAL

Cia. Grite de Teatro.

DIREÇÃO MUSICAL

Edu Berton.

ILUMINAÇÃO, FIGURINOS E CENOGRAFIA

Kleber di Lázzare.

EXECUÇÃO DE CENOGRAFIA

Paula Aviles.

EXECUÇÃO DE FIGURINOS

Zezé Figurinos.

VISAGISMO

Louise Helène.

FOTOGRAFIA

Guilherme Delazzari.

ARTES VISUAIS

Arthur Zenardi.

MÍDIAS SOCIAIS

Gleibson Filho e Gustavo Batistão.

DIVULGAÇÃO E ASSESSORIA DE IMPRENSA

Comunicação da USCS.

PRODUÇÃO EXECUTIVA

Marina Rodrigues.

DIREÇÃO DE PRODUÇÃO

João Noronha.

PRODUÇÃO

Cia. Grite de Teatro/USCS.

REALIZAÇÃO

USCS – Universidade de São Caetano do Sul e RN Produções Artísticas.

 

SERVIÇO

AQUI NÃO É MOSCOU, com a Cia Grite de Teatro

Um mosaico cênico sobre tempos e medos a partir de obras de Tchekhov

De 12/11 a 11/12 – sábados, às 18h e às 20h, e domingos, às 19h (excepcionalmente, não haverá apresentação da peça nos domingos, dias 13 e 20/11)

USCS – Campus Conceição (Rua Conceição, 321 – São Caetano do Sul), estacionamento liberado para o período do espetáculo;

 

Duração: 70 minutos

Indicação Etária: 14 anos

Lugares: 34 lugares (ingressos vendidos no local, uma hora antes de cada sessão)

Ingressos: R$30,00 (inteira) e R$15,00 (meia-entrada); estudantes da USCS pagam R$10,00, e todos os seus acompanhantes, estudantes ou não, pagam meia-entrada.