Notícias

Projeto da USCS realiza 2ª fase de Expedição na represa Billings

No dia 19/3, sábado, aconteceu a abertura oficial da Expedição Manaciais: Billings e Guarapiranga. No encontro, que ocorreu na Sede Náutica da Associação dos Funcionários Públicos de São Bernardo do Campo, foi realizada uma remada simbólica com alunos da Equipe Makani e da USCS e a participação de Dan Robson com o caiaque que utilizará no projeto.

Além disso, a Liga Acadêmica em Ciências do Movimento Prof. Emédio Bonjardim demonstrou seu apoio ao evento, com a participação dos atletas Ricardo Melo, Marcelo Teixeira e Felipe Kramer que realizaram a travessia da represa a nado. No local, foram oferecidos ainda atendimentos à saúde, por professores e alunos da Universidade (IMC, pressão arterial, taxa glicêmica e propensão a doenças cardiovasculares).

A atividade contou com autoridades, órgãos de imprensa, ONGs, entidades relacionadas, representantes e estudantes de universidades da região e demais interessados. A responsável pelo projeto, profª Marta Marcondes e representantes da SOS Mata Atlântica também estarão no local para o lançamento.

 

Sobre o Projeto:

Uma jornada de 450 km, divididos em 35 dias, com locais e percurso estabelecidos por uma equipe técnica. É neste contexto que o eco esportista Dan Robson realiza sua rota, no projeto Expedição Mananciais 2016: Billings e Guarapiranga.

O conjunto de ações, idealizado pela Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS), pretende realizar, pelo segundo ano consecutivo, um diagnóstico ambiental do reservatório, por meio de análises físico-químico e microbiológicas, bem como de percepção ambiental. O objetivo da Expedição é que, com um estudo sobre a qualidade dessas águas, agora gerando uma série histórica (2 anos de estudos), se possa discutir soluções para sua utilização. Os resultados, então, serão encaminhados às autoridades competentes de cada município da região.

À frente do projeto está a bióloga, especialista em recursos hídricos e professora da USCS, Marta Ângela Marcondes. A Fundação SOS Mata Atlântica, por meio do seu projeto Analisando os rios apoia o projeto Mananciais, participando também com seus representantes. A equipe técnica é formada por profissionais das áreas ambiental, jurídica e de comunicação social.

Segundo a Profª Marta Marcondes, a ideia para o projeto surgiu com base nas atividades já desenvolvidas por ela e um grupo de estudos dos reservatórios da região, conhecido hoje como Projeto IPH (Índice de Poluentes Hídricos). “Com a crise hídrica na região metropolitana de São Paulo, foi anunciada a possibilidade de maior uso da Represa Billings para suprir outros sistemas da região, como alto Tietê e Guarapiranga. Para isso, o estudo dessa água, em um curto espaço de tempo é de suma importância”. A previsão para identificação dos problemas e potencialidades do reservatório é de 3 meses.

Após coleta e análise das amostras, relatórios semanais serão disponibilizados no hotsite do projeto (www.uscs.edu.br/sites/projetobillings) e no site da Universidade (www.uscs.edu.br). A partir dos resultados, o grupo pretende promover seminários nos municípios, na intenção de que a sociedade civil possa participar da busca de soluções para os problemas encontrados.

 

PETIÇÃO PELA ÁGUA

A USCS, por meio da Campanha da Fraternidade 2016 e em parceria com a Fundação SOS Mata Atlântica, é um ponto de assinaturas da petição “Saneamento para todos. JÁ! Por Água Limpa, pelo Fim de Rios Mortos e Praias Contaminadas no Brasil”.

Clique aqui para saber mais ou ainda baixar a petição e contriibuir com as assinaturas.

 

APOIOS
O projeto, idealizado pela USCS, tem o patrocínio das empresas ProMinent Brasil, SOS Mata Atlântica e Equipe Makani.