Notícias

PPGCOM: Pesquisas em Comunicação recebem aporte de agências

Com colaboração de Regiane Bianchini

Ensino de Comunicação em cursos de Medicina e prevenção da violência no relacionamento entre jovens são temas de pesquisas

Muitas vezes boas ideias não bastam para o desenvolvimento de pesquisas. Por isso, a atuação de agências de fomento à pesquisa é tão importante ao desenvolvimento de estudos que tragam resultados à sociedade.

Um exemplo disso é o apoio dado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) ao projeto de pesquisa desenvolvido por Dr. Arquimedes Pessoni, professor do Programa de Pós-Graduação em Comunicação (PPGCOM), que enfoca a problemática da presença e ausência de disciplinas de Comunicação e Saúde nas grades dos cursos de Medicina de Universidades Públicas de São Paulo, para os próximos vinte e quatro meses.

O objeto de estudo leva em consideração sua importância para estabelecer um bom relacionamento entre profissional da Saúde e paciente, bem como é uma ferramenta imprescindível na humanização do atendimento preconizada pelo SUS e base para a confiabilidade na transmissão de informações de interesse público. “A Comunicação em Saúde perpassa o conteúdo de muitas disciplinas como elemento operacional ou apenas como ingrediente do currículo oculto das universidades”, explica Arquimedes.

O Prof. Dr. Arquimedes Pessoni enfoca sua pesquisa na problemática da presença e ausência de disciplinas de Comunicação e Saúde nas grades dos cursos de Medicina de Universidades Públicas de São Paulo.

Já a Dra. Rebeca Guedes, também docente do PPGCOM da USCS, tem a pesquisa financiada pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). O estudo tem como base um estudo sobre o desenvolvimento de estratégia lúdico-educativa no formato de jogo de tabuleiro, voltado para prevenção da violência no namoro entre jovens brasileiros.

“A pesquisa envolve duas etapas: a primeira, exploratória, vislumbra compreender as concepções e vivências dos jovens em relação à problemática. A segunda, fundamentada na fase exploratória da pesquisa, envolverá a concepção e avaliação do jogo de tabuleiro”, argumenta Rebeca.

Para a professora, o jogo, na concepção teórico-metodológica que norteia o estudo, é concebido como estratégia lúdica, mas também comunicacional e educativa, que favorece o desenvolvimento da subjetividade crítica, a partir da interação, problematização da realidade, reflexão e debate sobre a violência de gênero entre os jovens.

O projeto da Profa. Dra. Rebeca Guedes visa desenvolver estratégia lúdico-educativa no formato de jogo de tabuleiro, voltado para prevenção da violência no namoro entre jovens brasileiros.

A importância do apoio financeiro

A partir do apoio financeiro das agências de fomento é possível avançar com recursos que auxiliem na composição do estudo pretendido, como a aquisição de equipamentos e materiais, que auxiliem na coleta e análise de dados, pesquisa em campo, participação em eventos que discutam a temática estudada, permitindo ampliar o foco da pesquisa e bolsas a estudantes participantes dos programas de Mestrado.

Na opinião do professor Arquimedes Pessoni, “o selo de qualidade Fapesp em um projeto oferece visibilidade ao pesquisador e ao programa. Neste caso, como a pesquisa transita em duas áreas irá impactar não só a produção acadêmica do mestrado em Comunicação, mas também ao mestrado de Ensino em Saúde”.

A Fapesp

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo é uma das principais agências de fomento à pesquisa científica e tecnológica do país. Com autonomia garantida por lei, a FAPESP está ligada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação. Seu orçamento anual corresponde a 1% do total da receita tributária do Estado, para apoio à pesquisa e financiamento de investigações, intercâmbio e divulgação da ciência e tecnologia produzidas em São Paulo.

O CNPq

Criado em 1951, o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, agência do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MICTIC), tem como principal função fomentar a pesquisa científica e tecnológica, incentivando também a formação de pesquisadores brasileiros.