Notícias

Mostra de Iniciação Científica apresenta pesquisas da graduação e Colégio USCS

A Mostra de Iniciação Científica da USCS aconteceu no dia 05 de outubro no campus Conceição da USCS, com a apresentação dos resultados das pesquisas de Iniciação Científica no período 2018-2019. O evento foi aberto ao público e contou com mais de 50 trabalhos de estudantes de graduação da universidade e também do Colégio USCS.

“O evento foi um sucesso. Tivemos muitos pesquisadores trocando informações sobre os trabalhos apresentados, o que reforça a importância da Iniciação Científica e da pesquisa de modo geral, tornando-se um diferencial para o estudante durante o curso e também após a formação”, argumenta a professora Dra. Priscila Perazzo, coordenadora da Iniciação Científica da USCS.

“Meu trabalho é sobre o NASF (Núcleo de Apoio à Saúde da Família) no município. Com ele, podemos ter uma visão geral de como este programa está hoje, o que ele tem de bom e o que pode ser melhorado. Mostra a qualidade do serviço em São Caetano do Sul, focando também na USCS, que tem um trabalho semelhante” – Adriano Matos Pereira e Elizabeth Yu Me Yut Gemignani.

“O tema foi a motivação do docente, é uma área que estou totalmente envolvida e é o que eu quero seguir. Através de estudos científicos, relatos e alguns questionários, desenvolvemos o trabalho e chegamos a conclusões positivas, de que os docentes ainda gostam do que fazem, mesmo com as dificuldades que o professor encara” – Juliana Aparecida Cardoso Coutinho.

Juntamente com o MIC, tivemos a apresentação do Trabalho de Conclusão de Curso dos alunos do Colégio USCS, que iniciou o produção de pesquisas em Iniciação Científica neste semestre.

“Parabéns aos alunos que estão expondo os trabalhos de conclusão de curso hoje, juntamente com a Mostra de Iniciação Científica. É uma alegria ter uma escola que compartilha espaços de pesquisa nos três níveis, no Ensino Médio, Graduação e Pós-graduação”, afirma a professora Rosemary Verrone, diretora do Colégio USCS.

“Meu trabalho fala sobre a afetividade das mulheres negras e a solidão que se estabelece desde a infância até a vida adulta, então fazemos um percurso histórico do feminismo, falando um pouco sobre o feminismo negro e as questões que ele aborda, para entender como essas mulheres, através de esteriótipos, estão mais sujeitas à solidão não só afetiva, como social e econômica” – Beatriz Denise Silva Santos e prof. Dr. Fernando Monteiro.

“Sou bailarina desde pequena, e percebi que a dança me ajudou muito em diversos quesitos. Assim, decidi trazer a dança para a escola, como um curso acadêmico curricular não só em Educação Física ou em Artes. Com pesquisas focadas em saúde mental, descobrimos que a dança auxilia em muitos quesitos psicológicos. Pensamos nos alunos do Ensino Médio, que ainda estão desenvolvendo seu corpo e tentando entendê-lo” – Laura Ferrarezi, Monique Amaral, Stephanie de Oliveira, Yara dos Santos.

“Nosso trabalho é sobre o impacto da pecuária no Brasil, principal causador dos gases de efeito estufa” – Ana Paula Lucio, Catarina Menendes, Fernanda Tamiasi, Isabela Nascimento.