Notícias

Convidado internacional profere Aula Magna do Mestrado em Ensino em Saúde

Marcando o início das atividades do Mestrado em Ensino em Saúde da USCS, ocorreu nesta quinta-feira (22/02), no Campus São Paulo, aula magna apresentada pelo Dr. Stewart Mennin, professor emérito da Universidade do Novo México (EUA).

O Dr. Mennin é especialista em inovação na educação de profissões de saúde, tendo atuado em várias instituições pelo mundo, como na Fundação para o Avanço da Educação e Pesquisa Médica Internacional (EUA, Índia, África, Brasil); na Universidade de Maastricht (Holanda) e na Universidade de Illinois (EUA), entre outras, além da própria Universidade do Novo México, na qual durante muitos anos foi Reitor adjunto para o Desenvolvimento e Pesquisa Educacional da Faculdade de Medicina.

Confira, abaixo, a breve entrevista que ele nos concedeu minutos antes de iniciar sua apresentação:

– Que características um bom professor da área de Saúde precisa ter?
Para mim é muito simples: um professor bom é um professor que ainda está aprendendo, porque nós nunca chegamos ao final, sempre estamos aprendendo. A curiosidade é fundamental. O professor precisa estar sempre se perguntando, se reinventando.

– Hoje estamos aqui na aula inaugural do Mestrado de Ensino em Saúde da USCS. Qual é o papel de um curso como este para a formação do Médico docente?
Para mim o Mestrado é uma maneira de continuar a aprender, mas em um nível mais alto. Na pesquisa científica o tempo todo você se pergunta sobre como as coisas funcionam, como acontecem. Você tem que explicar, tem que justificar as coisas. As pessoas aprendem como formular perguntas. Perguntas que fazem a diferença.

– O senhor tem realizado trabalhos em diversas regiões do mundo. É possível apontar diferenças fundamentais relacionadas ao
cenário do ensino da área médica nos EUA, em países europeus e no Brasil, por exemplo?
Sim, em todo lugar há diferenças: diferenças culturais e de recursos. Diferenças em relação ao apoio governamental e ao montante dos recursos disponíveis, sejam eles públicos ou privados. O sistema de saúde no Brasil é muito bem pensado, mas não tem apoios suficientes, não tem professores suficientes. Cursos como este mestrado aqui da USCS, voltado a preparar pessoas, que por sua vez, irão preparar outras pessoas para exercer a profissão no futuro, são fundamentais para melhorar isso.

– Como o Sr. vê iniciativas como o programa “Mais Médicos” e a expansão dos cursos de Medicina no Brasil?
De minha parte, tudo o que tiver como objetivo a formação de mais médicos, que vão melhora vida de pessoas, eu gosto.