Notícias

Colégio USCS recebe oficinas de Documentário e Memória e Experimentação Artística

O Colégio Universitário USCS recebeu nos dias 09 e 10/05 a oficina de Documentário e Memória e Experimentação Artística, ministrada pelos professores Roberto Levy e a professora Sandra Uribe (UNAM/UdeC – México), ambos mexicanos. O III Simpósio Internacional de Comunicação e Cultura: aproximações com Memória e História Oral e o Programa de Pós-Graduação em Comunicação (PPGCOM) ofereceram essas oficinas para o Colégio como parte de suas atividades com a educação básica. As atividades tiveram o apoio do Laboratório Hipermídias para a gravação e edição do material e a vinda dos professores ao Brasil foi financiada pelo Simpósio.

“O papel desse trabalho é unir todos os níveis. O PPGCOM e um congresso desse porte tem que gerar oportunidades e conhecimento para a educação básica, em seu papel como universidade e pós-graduação”, afirma a professora Dra. Priscila Perazzo, coordenadora geral do III Simpósio Internacional de Comunicação e Cultura: aproximações com Memória e História Oral e do Laboratório Hipermídias.

Durante a atividade, Levy discutiu sobre sua experiência na área e interagiu com os alunos, solicitando que eles trouxessem objetos que remetessem a memórias antigas. “Foram escolhidos dois alunos para a gravação de depoimentos de história oral. No segundo dia, os alunos fizeram a recriação de uma cena e realizaram a edição dos materiais”, argumenta Levy. O roteirista já visitou o Brasil por seis vezes, sendo que em 1999 veio ao país para gravar uma série de documentários sobre histórias de vida e família.

Na oficina de Experimentação Artística, os alunos tiveram que desenhar e colorir um painel também com fatos marcantes da sua trajetória de vida. “É uma atividade que tem relação com a memória. Desenvolvemos um exercício de diálogo entre eles, pedindo para que escolhessem uma lembrança significativa para aplicar na tela”, explica a professora Dra. Sandra Uribe.

Para a professora de espanhol Alessandra Haro Atanaka, a atividade tem sido importante para a prática do idioma. “É uma oportunidade principalmente para os alunos do primeiro ano terem o contato com um outro sotaque do idioma espanhol. Gostei do fato da professora fazer toda a apresentação em espanhol, o que é um incentivo para eles”.

“É algo novo porque nós nunca tivemos professores mexicanos aqui no colégio. Está sendo muito legal, pois pudemos ter liberdade para desenvolvermos o trabalho que quiséssemos”, afirma Bianca Pattini, aluna do primeiro ano do Colégio Universitário USCS.