Notícias

Bate papo científico, de forma descontraída: Pint of Science acontece no ABC

Nos dias 14, 15 e 16 de maio, quatro bares do Grande ABC sediarão bate-papos com cientistas sobre temas diversos, como biodiversidade, uso indiscriminado de estimulante sexual e a importância de se falar sobre suicídio. A proposta é esclarecer dúvidas, apresentar pesquisas recentes nessas e em outras áreas do conhecimento e mostrar a beleza da ciência. É a proposta do Pint of Science, evento que ocorre simultaneamente em mais de 56 municípios do Brasil e, na região do Grande ABC, está sendo organizado em conjunto pela USCS e UFABC.
Será uma oportunidade dos moradores da região terem conversas descontraídas com os cientistas e entenderem melhor a dinâmica por trás das pesquisas e os atrativos que fizeram sucesso na primeira edição do evento na cidade.
Ao todo, serão promovidas 12 conversas, distribuídas entre os bares Bar do Peixe, Taberna 863, Toni Station Bar e Cachaçaria Central.
No primeiro dia, haverá os bate-papos “O uso indiscriminado de ‘estimulante sexual’ causa risco à saúde?” e “A saga de um medicamento do laboratório até você”. No dia 15, o destaque ficará por conta da discussão “Rio Doce: Um curso modificado” e, para encerrar, haverá o debate sobre o Centro de Logistica- Campo Grande -Paranapiacaba – Santo André.
Confira abaixo a programação completa. A atividade vale AACC para estudantes da USCS. A entrada é gratuita – paga-se apenas o que for consumido nos estabelecimentos.

De Norte a Sul do Brasil – O Pint of Science nasceu em 2013, como uma iniciativa de pesquisadores da Inglaterra, e se expandiu graças a uma rede de voluntários. Neste ano, 21 países promoverão o evento de forma simultânea.
No Brasil, onde o festival foi realizado pela 1ª vez em 2015, na cidade de São Carlos, o Pint of Science acontecerá em 56 municípios distribuídos pelas cinco regiões e a expectativa é de que 50 mil pessoas compareçam aos bate-papos.

BAR DO PEIXE – ESTRADA DAS LÁGRIMAS, 241 – BAIRRO SÃO JOSÉ, CIDADE DE SÃO CAETANO DO SUL – SÃO PAULO – ABC PAULISTA

14/05 Segunda-feira:
Apresentação 1: RODA DE CONVERSA: O USO INDISCRIMINADO DE “ESTIMULANTE SEXUAL” CAUSA RISCO À SAÚDE? VAMOS DISCUTIR SOBRE ISSO!
Tudo que você quer saber sobre os estimulantes sexuais e nunca teve coragem de perguntar!!! Esse será o tema dessa roda de conversa tão importante, que discutirá sobre as ações desses estimulantes no organismo humano, com quem realmente entende de medicamentos, ou seja, os farmacêuticos! Serão discutidos os grandes problemas e também os benefícios!
Palestrante 1: REYNALDO MASCAGNI GATTI
Farmacêutico, pela Universidade de São Paulo, doutor em Ciências Biológicas (Bioquímica) pela Universidade de São Paulo. Professor da Universidade Municipal de São Caetano do Sul. Atua em assistência farmacêutica, síndrome metabólica, promoção da saúde e desenvolvimento de fármacos.
Palestrante 2: TATIANA DE MEDEIROS HILDEBRAND MEIRELLES
Possui Graduação em Farmácia e Pós-Graduação em Farmácia Homeopática pelo Instituto Homeopático FRANÇOIS LAMASSON – Ribeirão Preto. Atualmente é Professora da Universidade Municipal de São Caetano do Sul-USCS. Foi Farmacêutica responsável por postos de Saúde (UBS) na cidade de São Caetano do Sul-SP. Foi Agente Sanitário Fiscal, na área de Saúde da Vigilância Sanitária do Município de São Caetano do Sul.

15/05 Terça-feira:
Apresentação 2: ENTRE OS DINOSSAUROS, RÉPTEIS E LAGARTIXAS EXISTEM OS PERIQUITOS.

As lagartixas que surgem na sua casa, conhece a origem delas?? Esse bate papo vai trazer um pouco sobre a origem e evolução dos répteis, quem são eles, os grupos mais importantes ao longo do tempo, seus descendes, comportamento e noções de manejos de répteis atuais. Além de mitos e verdades sobre esses animais que ao longo da história sofreram e sofrem com informações que não são reais.

Nome do palestrante 1: RONALDO MORAES
Diretor do Bioparque Macuco, no Município de Mauá – SP, atua no manejo de fauna em cativeiro desde 1998, com larga experiência como mantenedor de zoológicos. Foi coordenador da Escola de Ecologia e Parque Botânico Jânio da Silva Quadros em São Caetano do Sul-SP.

Nome do Palestrante 2: ARIEL MILANI MARTINE
Biólogo, mestre e doutorando em Geociências pela UNICAMP – Universidade Estadual de Campinas, atua na área de paleontóloga e evolução.

16/05 Quarta-feira:
Apresentação 3: REAIS IMPACTOS DE UM EMPREENDIMENTO EM ÁREA DE MATA ATLÂNTICA: O CASO DO “CENTRO DE LOGISTICA”- CAMPO GRANDE -PARANAPIACABA.
Sem Floresta não há água! O quanto ainda a Mata Atlântica continua sendo devastada? Ainda não existe uma efetividade nas leis de proteção? Quais são os reais impactos nesse ecossistema tão frágil? Essa roda de conversa trará um caso real, o projeto do Empreendimento do Centro de Logística de Campo Grande – Santo André – São Paulo. Como são as inversões de valores e a criação de expectativas em moradores de locais que recebem grandes empreendimentos. Realidade ou farsa? Tudo isso e mais um pouco sobre o assunto no âmbito legal, social e ambiental.
Nome do Palestrante 1 : LUIZ AFONSO VAZ DE FIGUEIREDO
Professor Doutor e pesquisador da área de Educação e Ciências Ambientais do Centro Universitário Fundação Santo André. – Mestre em Educação (UNICAMP), Doutor em Ciências (Área de Geografia Física) (USP).- Espeleólogo e ex-presidente da Sociedade Brasileira de Espeleologia-SBE – Secretario Adjunto da Federação Espeleológica da América Latina e Caribe (FEALC). – Membro-diretor da Sociedade Brasileira de Ecoturismo (SBEcotur), Membro ativo de Redes de Educação Ambiental Centro Universitário Fundação Santo André (CUFSA)

Nome do palestrante 2: VIRGILIO FARIAS
Advogado, especialista em Direito Ambiental, presidente do MDV – Movimento em Defesa da Vida; ambientalista, atua como representante de vários segmentos socioambientais como orientador dos processos de Ação Civil Pública. Sua área de atuação: Recursos Hídricos. Coordenada a Câmara Técnica do Comitê de Bacias Hidrográficas do Alto Tietê.

Nome do Palestrante 3: FABÍOLA BONALDO FRANK
Bióloga com conhecimento em educação ambiental e sustentabilidade. Experiência com consultorias ambientais voltadas para identificação da vegetação arbórea. Experiência na área da Coleta Seletiva, principalmente com o resíduo orgânico.
Palestrante 4: SUZANE MELO
Graduada em ciências biológicas e graduanda em engenharia ambiental, redatora do Portal Deviante. Atuou em pesquisas sobre biodiversidade e ensino de ciências.

TABERNA 863 – RUA RIO GRANDE DO SUL, 863 – BAIRRO SANTO ANTONIO – SÃO CAETANO DO SUL – SÃO PAULO- ABC PAULISTA
14/05 Segunda-feira:
Apresentação 4: SUICÍDIO: DIFÍCIL TEMA, MAS IMPORTANTE CONVERSAR SOBRE.
Sabe qual a importância de se discutir sobre suicídio? Qual a real importância do tratamento dos transtornos mentais? O modo de vida interfere nesse processo? Vamos debater sobre isso nessa roda de conversa. A discussão, o diálogo se faz importante para que possamos brindar a vida! O bate papo pode mudar o rumo da vida de uma pessoa! Olhe para seu amigo, cuide de quem está ao seu lado!!!

Palestrante 1: RICARDO JONATHAN FELDMAN
Médico, psiquiatra. Atualmente é preceptor em emergências psiquiátricas na Residência de Psiquiatria da Santa Casa de São Paulo no pronto socorro do CAISM-Vila Mariana. Psiquiatra no Hospital Israelita Albert Einstein. Perito psiquiatra no Departamento de Perícias Médicas do Estado de São Paulo (DPME)

15/05 Terça-feira: Apresentação 5: RIO DOCE: UM CURSO MODIFICADO.
Lançamento do vídeo sobre o relato da Expedição Rio Doce, com depoimentos de moradores afetados pelo desastre ambiental ocorrido com a ruptura da Barragem de Fundão em Mariana- MG. O vídeo com duração de 10 minutos possibilitará uma roda de conversa sobre os efeitos tanto no ambiente como na população que sofreu com todo o impacto gerado.
Debatedores
Nome do palestrante 1: MALU RIBEIRO
Coordenadora do programa Rede das Águas da Fundação SOS Mata Atlântica. Jornalista, com especialização em políticas públicas e gestão de recursos hídricos, atua como representante da entidade no Conselho Estadual de Recursos Hídricos, foi uma das fundadoras do Fórum Nacional de Comitês de Bacias Hidrográficas, em 2000, e é representante paulista do segmento sociedade civil no colegiado coordenador do Fórum na terceira gestão.

Nome do palestrante 2: MARCELO NAUFAL
Bacharel em Direito, especialista em Direito Ambiental, Pesquisador/Técnico do Projeto Observando os Rios da Fundação SOS Mata Atlântica.

Nome do palestrante 3: FERNANDA AMATE LOPES
Bióloga, coordenadora/pesquisadora do Projeto IPH – Índice de Poluentes Hídricos da Universidade Municipal de São Caetano do Sul – USCS.
Nome do Palestrante 4: PAULA SIMONE DA COSTA LARIZZATTI
Bacharel em Direito, Licenciada em Ciências Biológicas, Especialista em Gestão Ambiental Bióloga/pesquisadora Projeto IPH/USCS.
Nome do Palestrante 5: JOÃO PAULO SOARES
Graduado em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Municipal de São Caetano do Sul. Realizou intercâmbio acadêmico em Periodismo pela Universidad de Colima, México. Atuou como monitor técnico no Centro Universitario de Investigaciones Sociales de la Universidad de Colima, México. Foi pesquisador em iniciação científica no Núcleo de Pesquisas Memórias do ABC/USCS, com bolsa PIBIC-CNPq (2014-2016).
Nome do palestrante6: MARTA ANGELA MARCONDES
Bióloga, mestre em Políticas Públicas Ambientais, professora e pesquisadora da Universidade Municipal de São Caetano do Sul – USCS. Coordenadora do Projeto IPH – Índice de Poluentes Hídricos e do Laboratório de Análises Ambientais da USCS. Coordenadora do Projeto ESIC – Educação e Saúde Integral em Comunidades. Coordenadora do Projeto Expedição Mananciais. Área de Atuação: Saúde e Meio Ambiente.

Nome do palestrante 7: DANILO OLIVEIRA DA COSTA
Biólogo, mestrando Ciência e tecnologia ambiental pela Universidade Federal do ABC – UFABC, Professor da Rede Estadual de Educação, Professor de Lingua Inglesa, Professor/Pesquisador do Projeto IPH – Índice de Poluentes Hídricos, da Universidade Municipal de São Caetano do Sul – USCS.

16/05 Quarta-feira: Apresentação 6: REFÚGIO: SENSIBILIZAÇÃO HUMANITÁRIA
Você sabe a diferença entre refugiado e imigrante? Como ocorre o processo de solicitação de refugio no Brasil? Qual a diferença entre solicitante de refugio e refugiado? As leis brasileiras que garantem os direitos dos refugiados, existem? Essas questões que estão tão emergentes em nosso país podem ser respondidas nesse bate papo sobre o assunto.
Palestrante 1: ANA CAROLINA GIORGI MARTIN
Discente do curso de medicina da Universidade Municipal de São Caetano do Sul – USCS. Ativista humanitária, atua na cruz vermelha há 3 anos e há 1 ano e meio se dedica ao estudo sobre refúgio tanto acadêmico quando em campo, possui curso sobre respostas humanitarias a conflitos e desastres por Harvard University.

TONI STATION BAR .AV, ANTONIO CARDOSO, 955 – BAIRRO BANGU – SANTO ANDRÉ – ABC PAULISTA
14/05 Segunda-feira:
Apresentação 7 – DAS ESTRELAS AOS ÁTOMOS, PASSANDO PELA NOSSA CABEÇA, FÍSICA EM TUDO
A Física e a sua linguagem, a matemática, têm uma longa história de descrição do mundo em que vivemos. Do universo microscópico aos confins do nosso Universo, a Física aparece em quase tudo que acreditamos fazer parte da nossa realidade aparente. Suas belas teorias descrevem o nosso mundo físico com precisão surpreendente e consegue fazer previsões que tem cara de ficção científica. Mais recentemente na história da ciência, a física tem buscado novos horizontes, na descrição de fenômenos que se afastam um pouco das abordagens tradicionais, tais como a mecânica, clássica ou quântica, o eletromagnetismo, a termodinâmica, etc. A Neurociência, ciência que estuda nossos cérebros e sua maquinaria, é uma das áreas onde a física tem dado contribuições importantes. Desde a descrição da atividade elétro-química de um neurônio individual até a propagação de campos elétricos que podem ser captados em exames como o eletroencefalograma, modelos físicos mostrado um papel importante nesta nova ciência. Mas esta história está apenas começando…
Nome do palestrante 1: MARCELO AUGUSTO LEIGUI DE OLIVEIRA
Físico e pesquisador na área de Física de Altas Energias, com ênfase em Raios Cósmicos – Universidade Federal do ABC.
Nome do palestrante 2: MARCELO BUSSOTTI REYES
Físico e pesquisador com atuação nas áreas de atividade de redes neurais biológicas, particularmente centros geradores de padrões, sistemas dinâmicos e caos, Universidade Federal do ABC.

15/05 Terça-feira:
Apresentação 8: SOBRE A VIDA, O UNIVERSO (VIRAL) E TUDO MAIS
Ebola, febre amarela, Zika, Chikungunya: são vários nomes impronunciáveis de vírus que surgem todos os dias nos noticiários e parecem que não vão embora tão cedo…, mas existem outros que podem ser tão problemáticos quanto esses e você nunca ouviu falar! Nesta roda vamos conversar um pouquinho sobre o Citomegalovírus Humano (HCMV): como ele provavelmente está mais presente do que você imagina, a importância dele na vida das pessoas mais doentes e como ele foi responsável pela minha entrada no maravilhoso mundo da ciência.
Nome da Palestrante 1: CLAUDIA JANUÁRIO DOS SANTOS
Química e pesquisadora na área de Microbiologia, com ênfase no estudo do citomegalovírus e glioblastoma, Universidade Federal do ABC.
Nome da Palestrante 2: MARIA CRISTIANA CARLAN DA SILVA
Bióloga e pesquisadora na área de Virologia
Apresentação 8: HEMATOFAGIA E A TRANSMISSÃO DE DOENÇAS NEGLIGENCIADAS
Hematófagos, são seres vivos que se alimentam de sangue, dentre eles temos algumas espécies de morcegos, as sanguessugas e os artrópodes (insetos, ácaros, e outros mais). Estes últimos grandes vilões na transmissão de doenças. Artrópodes como mosquitos, percevejos e carrapatos transmitem protozoários, bactérias e vírus. Agentes patogênicos que causam a malária, a doença de Chagas, a doença de Lyme, a Zika, a Dengue e a Febre amarela, dentre outras enfermidades. São doenças que afetam, em sua maior parte, países com menos recursos para investimento em saúde pública. Doenças que recebem menos investimentos para pesquisa, prevenção e tratamento das mesmas, por isso, são consideradas doenças negligenciadas. Nesta mesa discutiremos um pouco sobre a relação destas doenças e dos hematófagos que as transmitem.
Nome da Palestrante 3: SERGIO DAISHI SASAKI
Biólogo e pesquisador com experiência na área de Bioquímica e Biologia Molecular de artrópodes hematófagos.

16/05 Quarta-feira:
Apresentação 9: FAZER CIÊNCIA: DESAFIOS MODERNOS
O mundo moderno impõe uma série de desafios à Ciência, desafios estes que se tornam ainda maiores em países onde a mesma ainda está longe de ser alçada a patamares de excelência. A situação é ainda mais alarmante no Brasil, onde a atual conjuntura política impõe uma série de restrições – inclusive orçamentárias – aos cientistas que, consequentemente, acabam por passar por uma via-crúcis para levar a cabo suas pesquisas. Assim sendo, pretende-se aqui discutir, à luz do atual cenário político, os desafios de se fazer Ciência no Brasil, levando-se em consideração inclusive a importância de projetá-la para além das fronteiras do país com o intuito de legitimar, portanto, a participação brasileira em áreas, como a Antártica, que representam as últimas grandes fronteiras da ciência internacional.
BIODIVERSIDADE E ANTROPOCENO: O QUE ISSO TEM A VER COM VOCÊ?
A biodiversidade é um conceito complexo que inclui a variedade, quantidade e distribuição de todos os seres vivos em nosso planeta. A Terra é um planeta azul com cerca de quatro bilhões e meio de anos, e vários processos tem sido identificados como responsáveis pela origem, evolução e crescimento de sua biodiversidade. Embora estime-se que nunca houve em nosso planeta tantas espécies, apenas uma minúscula parte de toda a variedade de vida que já evoluiu na Terra persiste até hoje. E o ser humano, como todas as outras espécies, é o resultado dessa história evolutiva. De muitas formas que não imaginamos, somos muito dependentes de todo tipo organismos, como bactérias, plantas, fungos e outros animais. Época é uma divisão da linha do tempo geológico que resume a história do nosso planeta, sendo a atual oficialmente denominada Holoceno. Mas há uma proposta recente de nova denominação da época em que vivemos para “Antropoceno”, que corresponderia ao início do impacto humano na geologia, ecossistemas e clima do planeta. Pela primeira vez, o destino de boa parte da vida na Terra está nas mãos de uma única espécie, a nossa. O que vamos fazer diante de tanta responsabilidade?
Nome do palestrante 1: FABIANA RODRIGUES COSTA NUNES
Bióloga e pesquisadora na área de Zoologia – Paleontologia de Vertebrados
Nome do palestrante 2: RICARDO JANNINI SAWAYA
Biólogo e pesquisador trabalhando com Biogeografia, Ecologia e Conservação da Biodiversidade

CACHAÇARIA CENTRAL .AV. LINO JARDIM, 863 – BAIRRO VILA BASTOS – SANTO ANDRÉ — ABC PAULISTA
14/05 Segunda-feira:
Apresentação 10- DO ACASO A UMA IDEIA BRILHANTE: A SAGA DE UM MEDICAMENTO DO LABORATÓRIO ATÉ VOCÊ
Você já se perguntou como as descobertas e as invenções da pesquisa científica podem interferir no tratamento para as diferentes doenças do mundo moderno? O desenvolvimento de novos fármacos e medicamentos é constituído por várias etapas incluindo processos criativos e experimentais, que envolvem desde a síntese de novas moléculas, até a aplicação de tecnologias para a produção de novos medicamentos e suas formas farmacêuticas finais. Para isso, é essencial a participação conjunta de pesquisadores, atuantes em Ciências Básicas e Aplicadas, especialmente para a execução das etapas de estudo em laboratórios e em clínicas e hospitais. Como a pesquisa científica contribuiu e vem contribuindo nesse processo ao longos dos anos? Vamos falar de descobertas, invenções, fases da pesquisa pré-clínica, clínica e as discussões éticas envolvidas.
Nome do palestrante 1: ANA CAROLINA SANTOS DE SOUZA GALVÃO
Bióloga e pesquisadora nas áreas de Bioquímica e Biologia Celular
Nome do palestrante 2: DANIELE RIBEIRO DE ARAUJO
Farmacêutica e pesquisadora em desenvolvimento de novos medicamentos
Nome do palestrante 3:MARCELA BERMUDEZ ECHEVERRY
Médica e pesquisadora com ênfase em Parkinson e Doenças Neurodegenerativas
Nome do palestrante 4: MARCELA SORELLI CARNEIRO RAMOS
Biomédica e pesquisadora nos temas Biologia Celular, Fisiologia Cardiovascular, Inflamação e Insuficiência Renal

15/05 Terça-feira:
Apresentação 11-Scientia cerevisae
A cerveja já era conhecida por povos antigos como os sumérios, egípcios ou babilônios, há pelo menos 6.000 a.C. Há evidências de que a necessidade se registrar a produção e o comércio da bebida tenha impulsionado grandes progressos nos primórdios da humanidade, como os desenvolvimentos da escrita e da matemática. No Egito antigo, os escravos recebiam os seus pagamentos em jarros de cerveja. Então, talvez possamos agradecer à bebida, a própria existência das pirâmides do Egito. Além disso, a bebida era comumente utilizada em rituais religiosos e, na Idade Média, monges trapistas e das abadias tomaram a frente, iniciando uma tradição centenária na produção de cerveja. Foi nesta época em que foi introduzido o tempero da cerveja: o lúpulo. Inicialmente pensado para ser uma proteção contra a contaminação, acabou por tornar-se um ingrediente fundamental nas receitas, responsável pelo aroma e o amargor da cerveja. A Idade Moderna trouxe a descoberta da microbiologia e de outras técnicas que permitiram a produção de cervejas de baixa fermentação. Assim, desenvolveram-se as cervejas mais populares do mundo: as pilsens. E, na Idade Contemporânea, a necessidade de se produzir cerveja em larga escala trouxe-nos vários desenvolvimentos nos processos de automação industrial. Nesta palestra, vamos abordar o que há de ciência nos seus copos de cerveja: desde os ingredientes até os processos de brassagem, fermentação e envase das cervejas; tanto no decorrer da história, quanto nos dias de hoje.
DO CAMPO À MESA, OS SEGREDOS DO BOM CHURRASCO
Todos sabem que de norte ao sul do Brasil o churrasco é uma paixão nacional. E não existe churrasco sem uma boa cerveja e uma carne de qualidade! Mas você conhece a ciência por trás do que você consome? Vamos apresentar a você o que existe de mais atual em relação ao melhoramento da carne que consumimos e como o Brasil se tornou um dos líderes mundiais em produção e exportação. Discutiremos ainda as particularidades de raças e sistemas de produção, além de programas de rastreamento que já são implementados em outros países. Serão abordados também temas como a seleção de animais de caracteres superiores, a implementação de programas de melhoramento da carne, além de estratégias para a reprodução de animais de alta qualidade.
Nome do palestrante 1: MARCELO AUGUSTO LEIGUI DE OLIVEIRA
Físico e pesquisador na área de Física de Altas Energias, com ênfase em Raios Cósmicos
Nome do palestrante 2: FRANCINE CAMPAGNARI GUILHEM
Geneticista com mestrado em genética animal, especialista em aplicação de tecnologia genômica no melhoramento genético em bovinos de corte.
Nome do palestrante3: MAYRA ELENA ORTIZ D’ÁVILA ASSUMPÇÃO
Médica veterinária, com mestrado e doutorado em reprodução animal pela Universidade de São Paulo. Atualmente é docente e pesquisadora da área de Biotecnologia da Reprodução Animal da mesma instituição.
Nome do palestrante 4: MARCELLA PECORA MILAZZOTTO
Bióloga com mestrado em genética e doutorado em Biotecnologia. Atualmente é docente e pesquisadora da UFABC.

16/05 Quarta-feira:
Apresentação 12-LUZES, ÁTOMOS, AÇÃO! A ARTE DE ESTUDAR O MUNDO QUÂNTICO
O mundo daquilo que é muito pequeno – povoado por átomos, moléculas e substâncias de dimensões nanométricas – teria bem menos ação não fosse a presença de luz. Na fotoquímica, esta pode ser usada como ingrediente capaz de transformar uma substância em outra. Luz também é obtida como produto de certas reações muito particulares, chamadas quimiluminescentes, fascinantes seja de dentro de tubos de ensaio ou seres vivos. Entender o que acontece, especialmente no que se refere aos processos microscópicos de interação da luz com átomos em seres vivos, ajuda-nos, por exemplo, a projetar e desenvolver novos fármacos. E é justamente aí que o conhecimento do mundo quântico passa a ter um papel fundamental. O mundo quântico parece assustador para muitos, mas isso só ocorre porque não o conhecemos. Ele é como aquele monstro que morava em baixo de sua cama quando era pequeno, você teme por não saber o que há ali. Hoje, temos melhores condições de interpretar este mundo quântico e utilizá-lo em nosso benefício. Com ele desenvolvemos a tecnologia que permite o uso de computadores, celulares e outros dispositivos óptico-eletrônicos. Mas o desenvolvimento não para, já estamos pensado em computadores quânticos, qubits, emaranhados quânticos e outros monstrinhos que logo também farão parte de nosso cotidiano. Convidamos vocês a produzirem este filme conosco.
Nome do palestrante1: EDUARDO PERES NOVAIS DE SÁ
Físico e pesquisador nas áreas de implementação de computadores quânticos em sistemas de matéria condensada, computação quântica e impurezas magnéticas.
Nome do palestrante 2: FERNANDO HEERING BARTOLONI
Químico e pesquisador, interessado em utilizar luz como ferramenta para induzir e estudar transformações químicas – Ex lux, Scientia!
Nome do palestrante3: RONEI MIOTTO
Físico e pesquisador dos temas estrutura eletrônica, superfícies, fótons e vibrações de rede

Mais informações pelo site do evento: www.pintofscience.com.br