Notícias

Alunos realizam intercâmbio na USCS nas áreas de Medicina e Comunicação

O estudante mexicano Marco Antonio Covarrubias Alcaraz, do curso de Jornalismo e o italiano Lorenzo Fiore, de Medicina, são os mais novos intercambistas da USCS, representando o convênio da instituição com as universidades do exterior. Eles irão cursar uma parte do curso no Brasil a partir deste semestre, selecionando matérias que serão úteis para a profissão aqui e no respectivo país de origem.

Para ambos, os estudos no Brasil abrem oportunidades para a carreira. “Sou aluno da Universitá Della Campania ‘Luigi Vanvitelli’ e vim para cá por meio de uma bolsa de estudos, com a chance de explorar novas áreas”, afirma Lorenzo. Já Marco Antonio, aluno da Universidad de Colima, explica: “é bom para a minha carreira. O Brasil é um país que se destaca pela Economia, é muito gratificante”. Marco também recebe uma bolsa do governo mexicano para o intercâmbio.

Marco Antonio, que irá cursar as matérias de Fundamentos de Marketing, Estratégias de Mercado e Direção de Teledramaturgia, produzirá conteúdo da sua área de estudo no Brasil. “Tenho a oportunidade de atuar no Laboratório Hipermídias. Fora isso, é muito importante para mim conhecer uma cultura diferente, aprender um segundo idioma, que é o português, e fazer contatos profissionais”.

Lorenzo veio para o Brasil em busca de especialização na área de cirurgia plástica. “Na Itália, essa especialidade é um pouco fechada para ingressar. Já no Brasil terei oportunidade de treinar mais, além de que a cirurgia plástica é uma área de destaque por aqui, sendo considerada uma das melhores do mundo”. O estudante fará as disciplinas de Cirurgia Plástica, Cirurgia Geral e Pronto Socorro. “No momento, também atuo como estagiário não remunerado na rede pública da prefeitura de São Caetano do Sul”.

Se para o mexicano o idioma será uma oportunidade de aprendizado, para o italiano será um aprimoramento. “Estudei português pela internet um tempo, mas não tive muitas dificuldades, já que a língua é bem similar ao italiano falado em Napoli”, argumenta.

Sobre o sistema de ensino brasileiro, as diferenças citadas por eles são a estruturação do currículo básico e o período das aulas. “Para mim, o que mais mudou foi o ensino à noite. No México, só temos aulas pela manhã”, diz Marco Antonio.

Os alunos estão hospedados na casa da Opção Brasil. “É uma boa oportunidade, já que eles nos ajudam com questões básicas quando chegamos do exterior, além de fazermos novos amigos”, finaliza Lorenzo.